Morte de adolescente em hospital sem médico causa revolta no interior do RN

Deyvid Guimarães tinha 17 anos — Foto: Arquivo da família
A morte de um adolescente de 17 anos no Hospital Regional de São Paulo de Potengi causou revolta de familiares e da população no município da região Agreste potiguar. O caso aconteceu na noite desta segunda-feira (10), quando não havia médico de plantão na unidade. O vídeo acima, feito por Aline Carla de Lima, mostra o desespero de familiares ao saberem da morte.

Segundo a família, Deyvid Guimarães passou mal enquanto jogava bola com amigos, foi levado para a unidade de saúde, mas aguardou atendimento de urgência por três horas, não resistiu e morreu no local.

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte confirmou que não havia médico na unidade, porém declarou que os enfermeiros tentaram reanimar o jovem e que ele já tinha entrado no hospital sem vida. A suspeita é de que a causa da morte tenha sido um ataque cardíaco.

Conforme o relato da família, o hospital não tinha nenhum médico de plantão e, apesar de haver duas ambulâncias no local, nenhum motorista estava à disposição, para que fosse realizada transferência para outra unidade.

"Muita revolta. Meu filho chegou aqui com vida ainda, não tinha médico, esperamos mais de 3 horas aqui e não tinha médico. Não teve assistênca pro meu filho", lamentou a mãe dele, Dalvaci Guimarães. O relato também é confirmado por amigos e familiares que estavam no local.

Porém a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte afirmou, por meio de nota, que a equipe de enfermagem do hospital prestou o atendimento ao paciente, com auxílio do Serviço de Atendimento de Móvel de Urgência (Samu), através de videoconferência.

Ainda acordo com a Sesap, o paciente já chegou ao local em um "quadro morte" e a equipe teria atuado tentado realizar reanimação por uma hora e meia. Ainda conforme a nota, pelos protocolos de atendimento, em casos de intercorrências cardíacas, os pacientes devem ser transportados em ambulância com suporte de UTI e o hospital só tinha carros com suporto básico.

"A Secretaria reconhece que existe um déficit na escala de plantão do hospital, mas está trabalhando para reverter o quadro, tentanto realocar profissionais aprovados no último concurso público para suprir a necessidade", afirmou a Sesap, sobre a ausência de um médico de plantão na unidade.

Deyvid estava cursando o 1º ano do Ensino Médio e sonhava em ser jogador de futebol. O corpo dele foi transferido para a Central de Verificação de Óbitos, no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, e liberado para velório e sepultamento, na manhã desta segunda-feira (11).

Fonte G1 RN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.